HOSTEL: UM GUIA COMPLETO

cover hostel - HOSTEL: UM GUIA COMPLETO

O que eu vejo de gente querendo começar a se hospedar em hostel, mas cheia de dúvidas e receios, não está no gibi.

Por isso, e por me considerar bastante experiente nesse tema, resolvi escrever esse post para ajudar você a destravar e abusar desse meio de hospedagem tão incrível, que nos permite conhecer mais gente e, de quebra ainda economizar.

Vamos lá?

Bom, pra você acreditar que eu realmente sei do que estou falando, preciso te contar que trabalhei como recepcionista por três anos em hostels do Rio de Janeiro e que me hospedo neles desde 2006 (acho que já foram mais de 40 pelo Brasil e pelo mundo).

Conheço os dois lados da moeda! Além disso, eu tenho um carinho muito grande por esse tipo de hospedagem, pois foi o meu primeiro emprego, onde aprendi muita coisa, juntei dinheiro para o meu intercâmbio (que mudou o rumo da minha vida) e fiz muitas amizades!

O que é um hostel?

É um tipo de hospedagem mais informal, em que você encontra opções de quartos privados, mas principalmente, quartos compartilhados, que na grande maioria das vezes contam com beliches. A interação dos hóspedes é um dos grandes focos dos hostels, já que oferecem ambientes e áreas comuns.

Por que ficar em hostels?

Porque é uma excelente forma de economizar em hospedagem, já que a diária de uma cama em quarto compartilhado é muito mais barata que a de um quarto privado em hotel.

Outra vantagem é a socialização que esse tipo de hospedagem permite, e se você gosta de conhecer gente durante a sua viagem ou está viajando sozinho, não tem nada melhor!

best party hostels london - HOSTEL: UM GUIA COMPLETO

Como eu disse no início desse post, os hostels contam com áreas comuns, como salas de tv, bares, salas de leituras e cozinhas, que incentivam a interação dos hóspedes. O próprio quarto compartilhado é um ótimo local para conhecer gente nova, porque rola muita troca e até por educação, você tem que cumprimentar as pessoas que estão ali, o que é um ótimo início de conversa!

 

hardcoverthickl 1983x2252 660x750 - HOSTEL: UM GUIA COMPLETOVocê já conhece meu livro digital TÔ INDO VIAJAR SOZINHA? Nele você vai encontrar muitas inspirações para tomar coragem e todas as dicas necessárias para se planejar e viajar sozinha!

Clica aqui para saber mais detalhes!

 

Veja mais:

COMO CONHECER GENTE VIAJANDO SOZINHA?

CRÔNICA: UM ENCONTRO QUE ME FEZ ENXERGAR QUE EU MERECIA MAIS

Quais as opções de quarto?

Bom, tem hostels que só trabalham com quartos compartilhados e têm aqueles que oferecem os compartilhados e os privativos.

Os quartos compartilhados variam de acordo com o número de camas, divisão de gênero e se inclui banheiro ou não. Você encontra quartos compartilhados começando em 4 e indo até 64 camas (sim, eu já fiquei num quarto com 64 camas e não recomendo). O mais comum é entre 4 e 20 camas.

dorm maior - HOSTEL: UM GUIA COMPLETO

Na questão da divisão de gênero, temos na verdade, os quartos femininos (nunca vi um quarto estritamente masculino). Ou são mistos ou femininos. Isso acontece pois muitas mulheres se sentem inseguras em dormir no mesmo ambiente que homens desconhecidos, por isso optam por essa separação.

Eu recomendo? Se você se sente insegura, com certeza! Não pense duas vezes. Eles costumam ser um pouquinho mais caros que os quartos mistos, mas vai te fazer dormir em paz e isso não tem preço.

Eu fico às vezes nos quartos femininos, mas na maioria das vezes fico no misto, porque acabo priorizando o preço. Nunca passei ou vi nenhuma situação que me fizesse desistir dos mistos, então acho importante dizer isso para tranquilizar as mulheres que leem esse post, mas o que deve importar para sua decisão é como você se sente em relação a isso.

Se você nunca se hospedou num quarto compartilhado, talvez seja legal começar ficando em um feminino, e se ficar tranquila, testar o misto.

Um ponto que eu acho que o quarto feminino vale mais à pena é em relação à comodidade e não à segurança: não fiquem bravos comigo, mas na minha experiência e não estou generalizando nada, é muito mais fácil encontrar homem que ronca do que mulher. E várias vezes a gente não dorme, ou dorme mal por conta do barulho. Também é mais comum homens chegarem muito bêbados e acabarem fazendo mais barulho nessa situação. Mas dá para resolver isso com máscara de dormir e aquele tapa ouvido de qualidade.

No quesito banheiro, alguns quartos oferecem um banheiro dentro dele, então somente as pessoas daquele quarto podem usar. Muita gente prefere essa opção, porque quando o banheiro fica fora do quarto, você divide ele com pessoas de outros quartos. Nesse caso, na maioria das vezes, são banheiros com várias cabines e chuveiros.

Vale salientar também que se o quarto for misto e o banheiro for dentro do quarto, ele será unissex.

Vou listar as vantagens e desvantagens de um quarto com banheiro de acordo com a minha percepção.

Vantagens: você quer fazer aquele xixi no meio da noite e não precisa sair do quarto nem dar de cara com pessoas no corredor. Você está relaxando no quarto e quer usar o banheiro e não precisa andar atééé ele (em alguns hostels ficam distantes e até em outro andar). Você vai tomar banho e esquece o sabonete. Se o banheiro for dentro do quarto, rapidinho você resolve.

Desvantagens: Se o quarto em questão tiver várias camas e a frequência de limpeza do hostel não for muito alta, o banheiro vai acabar ficando sujo muito rápido. Outro ponto negativo é que normalmente esses banheiros têm apenas um chuveiro e um vaso sanitário, então vai rolar fila. Outra questão também é que se o quarto for pequeno e o banheiro estiver perto de algumas camas, vai rolar barulhos e cheiros vindo do banheiro.

É seguro se hospedar em hostels?

A cada dez perguntas que recebo sobre hostel, nove são sobre a segurança. Acho que isso tem a ver com a nossa cultura e realidade, que nos fazem não ter tranquilidade em dividir ambientes com desconhecidos, principalmente quando nossos bens estão envolvidos.

Mas te garanto! Pode ficar tranquilo e fazer sua reserva já!

Porém, tenho que te alertar para alguns cuidados necessários para sua hospedagem.

  • Guarde sempre as suas coisas de valor no locker (armário)!

Todo hostel oferece um armário trancável em que você pode guardar seus pertences. Alguns são pequenos, e aí você só vai conseguir colocar alguns objetos, e outros são tão grandes que cabem a sua mochila.

Eu, mesmo que tenha um armário grande, nunca coloco a minha mochila, pois tenho preguiça de ter que tirar toda hora que precisar de algo. Então, seleciono o que pra mim é de valor e que não posso viver sem, como passaporte, cartões de crédito ou débito, dinheiro e documentos de viagem (vouchers, seguro, tickets, etc) e tranco nele.

locker mochila - HOSTEL: UM GUIA COMPLETO
Esse tem lockers na parte debaixo da beliche, bem grandes
locker fora 1124x750 - HOSTEL: UM GUIA COMPLETO
Esse hostel tem armário tipo militar

Mas isso é uma decisão pessoal. Se você só se sente seguro colocando todos os seus pertences, faça isso. E toda vez que for escolher um hostel para se hospedar, verifique na descrição, em fotos e nas resenhas se ele tem um locker grande.

  • Não deixe coisas espalhadas na sua cama.

Muita gente larga carregador, celular, computador e outras coisas espalhadas. Eu não tenho coragem, mesmo que nunca tenha tido nada ou tenha visto nada sendo roubado. Com exceção de uma história que até já contei no meu Instagram, que foi muito azar do gringo: ele largou a mochila com computador, passaporte e tudo que ele tinha, solta no quarto. Um ladrão entrou pela janela e levou a mochila! Tenho pena dele até hoje, pois eu trabalhava na recepção e fui a encarregada de dar a notícia quando ele chegou do passeio.

Se você quiser largar roupa, tudo bem, pois se alguém pegar, não impactará em nada sua viagem. Isso claro, se você não tiver apego às roupas.

  • Leve sempre um cadeado com você!

Os hostels apenas oferecem o armário, então a responsabilidade do cadeado é sua.

Dicas sobre segurança

Perder alguma coisa no hostel por descuido ou por roubo não é nada legal, mas tem coisas importantes e coisas nem tão importantes.

Se você perder seu passaporte, isso terá um custo financeiro e de tempo, que irá impactar imensamente a sua viagem. Se você perder seu dinheiro e seus cartões a mesma coisa. Agora, se o objeto perdido for um chinelo, não é o fim do mundo, porque a gente compra outro e viagem que segue.

Estou falando isso para te alertar da importância de guardar com cuidado aquilo que é de valor. Eu carrego sempre aquela bolsa doleira, pois ali concentro tudo que é importante para mim. Não uso no quadril, mas gosto dela por ter um tamanho bom e ser fácil de achar.

É útil até para você não perder documentos durante o dia a dia da sua viagem. Se habitue a tirar dela e colocar sempre de volta.

Outra dica é sempre guardar o seu cadeado no mesmo bolso da mochila porque isso facilita muito na hora de achá-lo! Principalmente em viagens longas com muito troca troca. É um saco ter que ficar caçando cadeado a cada hostel novo.

 

Para viagens internacionais, não se esqueça do seguro viagem! Aqui no blog, somos parceiros da Seguros Promo, buscadora de seguros com várias opções e preços excelentes! Usando nosso cupom, você ganha 5% de desconto (WENEEDISTRAVEL5) e se pagar no boleto, tem mais 5% de desconto.

Clica aqui para fazer uma cotação e ajudar o blog a se manter com conteúdo de qualidade!

Como funcionam as reservas, o check-in e o check-out?

Funcionam igual a um hotel.

Existem sites buscadores/agregadores de hostels, como Hostelworld, Hostels.com e até o Bookings e Agoda em que você facilmente faz a sua reserva, podendo exigir o pagamento antecipado de uma parte do valor ou não.

Também é possível reservar na recepção do hostel, mas aconselho a sempre chegar com a reserva feita, mesmo que no dia anterior, para evitar a frustração de não ter vaga.

O check-in e o check-out também seguem o padrão com horários estabelecidos de entrada e saída. A diferença aqui fica por conta do horário de funcionamento da recepção. Em alguns hostels, a recepção não funciona 24 horas, então se você precisar fazer o check-out fora desse horário, fique atento para comunicá-los no dia anterior para que todas as contas sejam fechadas e depósitos devolvidos.

Estilos de hostel

Eu costumo dividir os hostels em três categorias: o paradão, o social e o party.

O hostel paradão é aquele em que não há interação dos hóspedes, então acaba sendo um lugar só pra você dormir e usar a internet. Chega até ser engraçado, porque se você pensar, quase nenhum hostel é construído para ser assim, mas acaba se tornando um.

Às vezes o lugar é ótimo, tem várias áreas comuns bem estruturadas, mas o negócio não engrena. E aí vou te falar duas coisas: uma, que você pode escolher esse tipo, se você está numa vibe mais introspectiva (acontece em viagens longas com algumas pessoas) e outra, que dá para descobrir se esse é o estilo do hostel através da leitura das resenhas nos sites que mencionei antes.

Já o hostel social, meu preferido, é aquele que não é aquela agitação toda, porém não é parado. A galera interage, os espaços comuns funcionam e a vibe é animada. Perfeito para quem quer socialização mas não é do estilo “baladeiro” e prefere dormir à noite.

O party hostel é autoexplicativo: festança à vista. Quase sempre tem bar ou boate dentro dele, o que deixa a galera enlouquecida. Saiba que vai rolar barulho e gente bêbada.

this is our bar - HOSTEL: UM GUIA COMPLETO

Todas essas informações você consegue, na maioria das vezes, lendo a descrição e as resenhas do hostel.

Conforto nos quartos

Eu sou de uma época em que só tinha mato nos hostels. HAHAHA

Brincadeiras à parte, eu entrei para o mundo dos hostels em 2005 e lá atrás eles eram bem mais simples e não tão bem estruturados. Hoje, temos vários exemplos super modernos, com chaves eletrônicas para acessar os quartos, chuveiros maravilhosos, edredons, roupa de cama e colchões de primeira, lâmpada e tomada individual em cada cama e até cortina para te dar privacidade e fazer você sentir que a cama é o seu quarto privado.

how to open a hostel dorms private curtains wood - HOSTEL: UM GUIA COMPLETO

Logicamente que ainda existem uns quartos mais simples, mas a lógica segue igual a qualquer meio de hospedagem: quanto maior o conforto, a segurança e a modernidade, maior o preço.

Por isso, que meu conselho para escolher um hostel é ler bastante resenhas, pois ali está o tesouro e vai te fazer escolher um do jeitinho que você quer.

Veja mais: 4 PASSOS PARA ESCOLHER SUA HOSPEDAGEM

Roupa de cama e toalha

Em 99,9% das vezes, o hostel vai te oferecer a roupa de cama. Caso não ofereça, provavelmente ele irá te oferecer o aluguel dela, então nem pense em levar roupa de cama com você na viagem! Furada!

Agora, a toalha não é garantia nenhuma de estar incluída. Na Europa é mais fácil ser oferecida do que na Ásia, por exemplo, mas não tem regra. Meu conselho é você comprar aquelas toalhas esportivas, que são leves, secam rápido e têm pouco volume e sempre levar com você.

Fique atento pois vários hostels pedem um depósito pela roupa de cama ou pela toalha na hora do check-in, para garantir que você não estragará nenhuma peça. Acreditem: pessoas fazem coisas inacreditáveis e sujam de forma surpreendente uma roupa de cama.

Muitas vezes o depósito também é solicitado para garantir a chave do quarto. Não esqueça de pegar o seu depósito de volta no check-out! Já vi muito recepcionista esquecendo ou até não devolvendo de má fé.

Tenha consciência da sua escolha

Pra fechar esse post, quero trazer uma reflexão. Precisamos ter a consciência de que estamos dividindo um espaço com outra pessoas, então teremos que engolir alguns sapos, em nome da economia e da socialização.

Digo isso, pois como ex recepcionista de hostel, já me deparei com reclamações que não faziam sentido e era claro que a pessoa queria economizar mas não queria “as desvantagens” daquela economia.

E óbvio que, por dividirmos um ambiente, temos que ter respeito ao próximo, então evitar fazer barulhos ou acender luzes tarde da noite, não deixar suas coisas espalhadas no meio do quarto, jogar lixo no chão e outras coisas do tipo.

Espero que eu tenha ajudado você, que quer começar a se aventurar pelos hostels da vida e repito: super recomendo!

Acho uma experiência imperdível e enriquecedora!

Beijos,

Flavia Goulart

Autor: Flavia Goulart

Flavia Goulart é carioca e ama viajar, principalmente sozinha. Desde nova sonhava em conhecer o mundo e transformou isso em um estilo de vida. Com 33 anos já conheceu 32 países e sua meta é continuar conhecendo lugares, culturas e pessoas.